fbpx

Multissensorial: conheça como essa técnica de vendas converte experiência em consumo

Se a primeira impressão é a que fica, a comunicação visual cria a experiência no PDV e vira a fotografia que seu cliente armazena como uma memória afetiva. Tudo faz parte das técnicas de venda baseadas em psicologia do consumo para criar um ambiente multissensorial que estimula o consumidor a comprar. Daí em diante, a imagem que ele tem do seu empreendimento é muito mais do que os olhos puderam ver, é um conjunto de técnicas que foram aplicadas para agregar valor a sua marca.

 

A trilha sonora é o conforto

Do planejamento do ambiente à escolha das músicas que tocarão no PDV, as estratégias comunicacionais são as peças-chave que agirão no subconsciente do consumidor e estimulará a aquisição de produtos e a preferência pelo seu espaço.

Nesse caso, a trilha sonora tem o papel de causar conforto e fazer o cliente entender que está em uma loja que tem tudo a ver com os seu gosto. Essa identificação com a música que toca no PDV também relaxa o consumidor e faz com que ele consiga concentrar-se nos produtos a sua disposição.

 

Toque para sentir a qualidade

A possibilidade de contato com o produto estimula a curiosidade e o tato. O sentido do toque é um dos mais importantes na hora de vender algo pois é o que confirma a sua qualidade. Apesar do mercado está migrando também para o online, raramente o consumidor vai adquirir algo à distância sem conhecer a sua marca.

 

O cheiro que marca momentos

O cheiro do ambiente provoca reações imediatas que vão direto para o sistema nervoso central. Isso desperta e até cria uma memória olfativa mais intensa e frequente. Sabe quando compramos uma peça de roupa nova e ela exala seu cheiro único? Isso transforma a ação de abrir o guarda-roupas em uma viagem em direção ao local onde vivemos a experiência daquela aquisição.

Comprar entrega dopamina ao cérebro, o hormônio do prazer. É uma ação que nos diz que naquele momento temos o poder de adquirir algo que queremos. Utilizar fragrâncias exclusivas no seu PDV conectam o produto que o cliente consome à sua marca, onde quer que ele esteja.

 

Cenários marcantes e funcionais

A organização visual de um PDV está presente desde o design mobiliário que proporciona circulação e acessibilidade, passa pela iluminação que valoriza o produto e vai até os detalhes do acabamento arquitetônico que identifica a sua marca. Nessa hora a comunicação visual é o que estimula o sentido mais óbvio, a visão. Mas ela precisa ser planejada e executada de forma equilibrada para gerar conforto e segurança, materializando a sua identidade e missão.

Em Santa Maria, a loja de roupa feminina Zana é um exemplo para quem busca viver essa experiência multissensorial. A sua comunicação visual, que contou com a parceira Jungton, está presente na riqueza de detalhes de uma fachada em ACM com elementos vazados, letra caixa em MDF, acrílico e luminosas, placas informativas, sinalização de setores, displays de mesa e até nos adesivos das suas vitrines.

O emprego dessas técnicas regou a árvore da trajetória da loja Zana e o fruto colhido é o sucesso já perceptível nas suas redes sociais. Um conjunto de estratégias simples que ao serem bem executadas fizeram toda a diferença na hora de se estabelecer como a preferida entre seu público. Um exemplo disso é a importância do conhecimento das técnicas de vitrinismo mais atuais para fidelizar.

 

Cupom promocional

Esse conteúdo te inspirou a fazer alguma atualização na Comunicação Visual do seu negócio?
Preencha o formulário abaixo e receba um cupom de desconto para a contratação dos nossos serviços:

 



 

VITRINISMO

Como melhorar a porta de entrada da sua loja

LEIA AQUI

Comunicação Visual na construção civil – Case Construtora Jobim

Prédios em construção fazem parte da rotina santa-mariense. Tão comuns, só não passam despercebidos pelo barulho que emitem, e ser imperceptível não seria o ideal para esse tipo de mercado. Como saída, o setor da construção civil tem investido em publicidade, focando na comunicação visual dos seus pontos de venda (PDV).

O empreendimento de uma construtora é criar e vender espaço para quem busca investir em um imóvel. Alinhar esse objetivo com uma boa campanha publicitária constrói o elo entre oferta e demanda no atual mercado da construção civil, em especial quando se trata de espaços ainda na planta.

A comunicação visual promove as estratégias publicitárias e reforça a presença de marca da empresa. Essa presença age no processo psicológico da percepção, influenciando na forma como a mente conecta referências visuais e as armazenada no cérebro. O resultado é lembrança de marca e conquista do público-alvo.

Em Santa Maria, a Construtora Jobim é um exemplo desse resultado. Seu maior empreendimento, o Espírito Santo, conta com o planejamento publicitário da J. Adams Propaganda e a execução da comunicação visual da Jungton.

Das 4 torres que estão sendo construídas, a torre Amor, com entrega prevista para outubro de 2018, está completamente vendida. As torres Bondade e Caridade estão em excelente ritmo de vendas e tendem ao esgotamento da mesma forma. A torre Divindade ainda não está à venda.

Esse sucesso é fruto das ações realizadas, tanto em termos de identidade visual como a sinalização do empreendimento, que contou com placas de veículos personalizadas com o nome das torres que compõem o Espírito Santo; confecção de display em MDF com um demonstrativo da aparência final; letras caixa com a numeração do prédio e adesivação de tapumes e de vidros do ponto de venda, junto ao empreendimento.

As ações de comunicação fortaleceram a marca da Construtora Jobim em mais essa empreitada, reforçando a posição da empresa como referência no ramo da construção civil.